O que você procura?

Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024


Notícias

Categoria bancária faz greve nacional e por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira

Categoria bancária faz greve nacional e por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira

18.09.2013

A partir desta quinta-feira (19), conforme decisão referendada por assembleias sindicais realizadas em diversas bases sindicais, os bancários cruzam os braços por tempo indeterminado em resposta à intransigência dos banqueiros para as reivindicações da campanha salarial 2013, envolvendo os trabalhadores das instituições financeiras públicas e privadas. A decisão de paralisar as atividades em agências e unidades bancárias segue orientação do Comando Nacional dos Bancários.

A greve foi aprovada, por exemplo, por bancários do Acre, ABC Paulista, Alagoas, Alegrete, Amapá, Angra dos Reis, Apucarana, Aracanguá, Arapoti, Bagé, Bahia, Belo Horizonte, Brasília, Bragança Paulista, Campo Grande, Campina Grande, Campinas, Campos de Goytacazes, Campo Mourão, Ceará, Cornélio Procópio, Cruz Alta, Curitiba, Dourados, Espírito Santo, Extremo Sul da Bahia, Florianópolis, Guarulhos, Guarapuava, uiz de Fora, Limeira, Londrina, Macaé, Maranhão, Mato Grosso, Mogi das Cruzes, Naviraí, Niterói, Novo Hamburgo, Pará, Paraíba, Paranavaí, Pernambuco, Piauí, Piracicaba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Rondônia, Rondonópolis, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, São Miguel do Oeste, Santa Rosa, São Paulo, Sergipe, Sul Fluminense, Teresópolis, Toledo, Uberaba, Umuarama, Vale do Caí, Vale do Paranhana, Vale do Ribeira e Vitória da Conquista.

A disposição da categoria bancária é construir uma greve forte em todo o Brasil, de modo a intensificar a pressão por reajuste salarial de 11,293% (inflação do período mais 5% de aumento real), PLR melhor (pagamento de três salários mais valor fixo de R$ 5.553,15), valorização dos pisos e das verbas salariais (R$ 2.860,21 – salário mínimo do Dieese), mais segurança contra assaltos e sequestros, mais contratações, reversão das terceirizações, fim da rotatividade, condições dignas de trabalho, preservação da saúde, fim do assédio moral e das metas abusivas, Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) em todos os bancos e igualdade de oportunidades, além de medidas que preservem o emprego e protejam a vida.

Na Caixa Econômica Federal, além das reivindicações econômicas da campanha salarial deste ano, os empregados lutam por isonomia de direitos entre novos e antigos trabalhadores, questões relativas à Funcef, fim da precarização nas condições de trabalho, saúde do trabalhador, Saúde Caixa, carreira, respeito à jornada de trabalho de seis horas, tíquete e cesta-alimentação para todos os aposentados e pensionistas, fim da discriminação aos trabalhadores que permanecem no REG/Replan não-saldado e segurança bancária.

Nas rodadas realizadas até agora com o Comando Nacional dos Bancários, a empresa negou-se a apresentar contraproposta à pauta específica, repetindo a sua já conhecida postura de enrolação. Com isso, a greve tornou-se uma necessidade entre os empregados da Caixa.

Fenae: cobertura da campanha salarial dos bancários.

Acompanhe o dia a dia da campanha salarial da categoria bancária pelo hot-site: http://www.fenae.org.br/campanhasalarial2013. O setor de comunicação da Fenae disponibiliza hot-site exclusivo da campanha salarial, para melhor informar os empregados da Caixa sobre o assunto.

Observação: na quarta-feira (18) haverá plantão na Fenae, para acompanhar as assembleias organizativas que serão realizadas em todo o país. O resultado desses fóruns deve ser remetido para os e-mails imprensa@fenae.org.br e fenae@fenae.org.br ou, então, pelo telefone (61) 3323-7516.